Braille

O Braille é um sistema de leitura e escrita para cegos inventado pelo francês Louis Braille no ano de 1827 em Paris.

É considerada a primeira forma de escrita digital. Cada letra é representada numa célula com seis pontos possíveis, dispostos em duas colunas de três pontos. Cada ponto pode estar ou não em alto-relevo. Assim são possíveis 64 combinações. A leitura assenta na sensibilidade epicrítica do ser humano, a capacidade de distinguir na polpa digital pequenas diferenças de posicionamento entre dois pontos diferentes, e é o grande desafio em termos de aprendizagem.

A escrita pode ser feita de forma manual com uma pauta específica para o efeito, à máquina ou por meios informáticos apoiados por uma impressora Braille.

A invenção de Loius Braille seguiu-se a uma tentativa mal sucedida de se criar uma método de leitura noturna que não necessitasse de luz feita por Charles Barbier, oficial do exército francês, a pedido de Napoleão. Braille, que era cego desde os três anos, compreendeu os erros da linguagem de Barbier e corrigiu-os.

O Braille continua a ser considerado indispensável para os cegos, já que é o único método de leitura que dispensa qualquer tipo de instrumento auxiliar. Um cego experiente pode ler cerca de cento e cinquenta palavras por minuto.